ATENÇÃO: ISTO ABAIXO NÃO É MUSICOTERAPIA!

28/02/2011 17:04

 

Música pela cura

 Fundo musical garante recuperação rápida e um ambiente mais harmonioso para funcionários e pacientes.

Promover a cura e o bem estar dos pacientes através da música. Com esse objetivo, a enfermeira Michele Arruda, da Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA) do Hospital Santa Joana (HSJ), implantou a musicoterapia no setor. O projeto, intitulado o Toque Sonoro, é resultado de uma pesquisa qualitativa realizada com mais de 40 referências bibliográficas e que contou com 12 depoimentos, selecionados entre os 148 participantes de uma pesquisa de satisfação feita entre os pacientes que passaram pelo processo. Colocado em prática desde maio deste ano, período em que a sala recebeu o Projeto Piloto elaborado pela funcionária, pacientes e profissionais do local passaram a compartilhar um remédio mais saudável e natural: a música clássica e instrumental.

São 24h de música, sem intervalo, para os pacientes que chegam e aos que vão à cirurgias, independente do procedimento à que serão submetidos.. No repertório, a coletânea de músicas instrumentais de Nando Cordel, artista pernambucano que abraçou o projeto, e clássicos como Mozart e Beethoven. O diferencial do tratamento está na vibração, frequência e sonorização das canções, que são escolhidas de acordo com a situação do paciente acolhido pela terapia. Um exemplo são as músicas para as crianças internadas, que possuem um tom clássico e infantil ao mesmo tempo, como explicou Michele Arruda. "Para esse público preparamos músicas diferenciadas, do cd Love Songs para crianças, onde existe o som dos brinquedos infantis misturado com a música clássica", disse.

E o feedback dos pacientes tratados com terapia é quase que instantâneo. "Eu acho muito relaxante, é uma experiência boa que uso toda noite para dormir. Meu pé esquerdo que passou por uma cirurgia está doendo, mas com a música a dor se foi", declarou o paciente Pedro de Assunção, 11, sobre a sua experiência com a Musicoterapia. A mãe da criança também elogiou a iniciativa. "O Hospital Santa Joana que sempre pensou no melhor atendimento agora se supera usando a música como auxílio de conforto", disse Maria José Assunção.

Além de proporcionar qualidade na assistência médica e, segundo a enfermeira Michele Arruda, bacharel em enfermagem e pós-graduada em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), o Toque Sonoro já colhe resultados positivos também nas estatísticas. Desde maio, mês que a música começou a chegar, timidamente, na SRPA, houve redução, pela metade, no uso de anestésicos sintéticos, normalmente utilizados pelos pacientes após uma cirurgia. No mês de julho de 2010 o projeto ganhou plena estabilidade com avanços visivelmente reconhecidos. O que ocasionou a instalação de um novo equipamento sonoro. Para conseguir implantar o projeto por completo a enfermeira Michele Arruda contou com o apoio de toda a equipe profissional da Sala de Recuperação, como técnicos de enfermagem, enfermeiros e anestesistas do setor, além da gerência da Enfermagem do HSJ, composta por Verônica Abreu, Magaly Maia e Fátima Sampaio.

Para Michele, há 10 meses atuando no setor, o sucesso do projeto se deve, também, pela função que a música exerce ao inibir os ruídos dos equipamentos da SRPA. "Com a musicoterapia, os pacientes passam a concentrar a atenção na música que está tocando, e não mais no barulho estressante dos aparelhos que precisam ficar dentro da Sala, o que diminui a ansiedade e proporciona relaxamento", explicou. De acordo com a enfermeira, a chegada desse tipo de terapia chega a proporcionar uma melhor cicatrização aos pacientes pós-cirúrgicos e, consequentemente, faz com que eles recebam alta antes do prazo previsto. A enfermeira adiantou, ainda, que o objetivo é consolidar o projeto no Hospital para, assim, poder levá-lo para outros setores, como para a Unidade de Tratamento Intensiva (UTI).

Coren

 

O projeto Toque Sonoro da Enfermagem, com o auxílio do enfermeiro e fiscal do Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren), Gilmar Souza, se tornou uma monografia apresentada no I Encontro do Conselho de Enfermagem de Pernambuco, organizado pelo Coren, e foi selecionada para expor, pela primeira vez, o Toque Sonoro ao público. Em uma exposição oral e feita através de banner, no primeiro dia do Encontro, a enfermeira, junto com a equipe do SRPA, mostrou o propósito e o motivo do sucesso da musicoterapia. Também esteve presente na apresentação, reafirmando a parceria com o projeto, o músico Nando Cordel.

Após a apresentação, a enfermeira idealizadora do projeto, junto com integrantes do setor de Recursos Humanos do HSJ, além da coordenadora de Atendimento da Maternidade, Luciana Moura, e Rosalvo Mafra, coordenador de Marketing e Acolhimento do Hospital, reuniu-se com a presidente do Coren, Célia Arribas. Na ocasião, a gestora do Conselho mencionou a necessidade de documentar o trabalho em questão para, a partir disso, solicitar ao Coren que o Toque Sonoro da Enfermagem se torne uma referência, inicialmente, na rede privada e na rede pública de hospitais. Durante o encerramento do Encontro, realizado no dia 23 de outubro, houve a premiação dos melhores trabalhos apresentados. O Toque Sonoro da Enfermagem ganhou, em primeiro lugar, na categoria Artigos Científicos e Michele Arruda foi premiada com um notebook. Além da enfermeira, também esteve na premiação uma das gerentes do setor de Enfermagem do HSJ, Verônica Abreu.

 FONTE: http://www.santajoana.com.br/noticias/2010_11_05.shtml